«

»

out 23

Na máquina da vida….somos mestres.

Hoje pela manhã como quase toda manhã de sábado, nossa Turma de Pais e Mães do Lar Espírita Luz e Amor em Diadema, reuniu-se para conversar. O tema do dia foi sobre o papel de cada um de nós na máquina da vida, para tanto cada um recebeu uma folha de papel em branco e convidados a desenhar uma peça que ajudasse a vida no planeta Terra. Passados alguns breves minutos tarefa terminada, nossos inventores e inventoras de papel nas mãos começaram a explicar o funcionamento de cada peça, terminadas as explicações todos ao mesmo tempo tiveram como desafio fazer um som ou um movimento de sua peça, claro todos um tanto constrangidos em “pagar um mico” como esse, mas com boa vontade venceram o desafio, uns mais outros menos expansivos, mas todos contribuiram para a tarefa.
Sentados em círculo, todos puderam dividir suas sensações, de incômodo ou de ridículo, mas de um modo geral o papel inusitado com que cada um se viu por desempenhar.

O objetivo da tarefa foi de refletir sobre o papel que cada um desempenha na máquina da vida a partir de seu próprio lar, qual o nosso papel como tutores dos filhos de Deus aqui na terra? Somos todos co-responsáveis pela sociedade que criamos e reproduzimos, e somos importantes para nossos filhos e eles sabem disso, podem até nos acharem chatos e ultrapassados mas a certeza de que queremos o bem deles é uma certeza pétrea, isso pode e deve ser usado em benefício deles, essa confiança que somos fiéis depositários, um verdadeiro tesouro a ser preservado.
Como conclusão da turma, a importância do diálogo e da proximidade entre pais e filhos, também a necessidade de compreendermos nossa sociedade e os ídolos de nosso filhos, suas mensagens e ideias. Entender os anseios e angústias de nossos filhos pode parecer coisa simples, mas a mente humana nunca é simples, se assim fosse não haveriam filhos viciados, mal amados, e autodestrutivos.
Na escola da vida nossos pais foram nossos mestres, para o bem ou para o mal, e os mestres de nossos filhos somos todos nós.

Deixe uma resposta