Arquivo por mês: março 2011

mar 31

O inverno de Cartola

Em cada alvorada, e em cada estrada que se anuncia cada canto em ti e por ti perdido cada canto em Si e por ti pedido e em cada soneto vão em vão todo meu ser sem nunca ter-te e se assim for, nunca ser-te assim o divino amor. Ouço Cartola em invernos de seu …

Continue lendo »

mar 29

Epitáfio

Epifania… Ao ler-te dei-me quase a ver-me, num epitáfio de quem ainda não está pronto e nunca o estará. Vejo-me em altercações onde o grande a ser vencido sou eu, o grande eu que seduz a mim, o grande eu que vos reduz e me eleva para a grande queda. O super eu, o super ego, e onde o …

Continue lendo »

mar 25

Na tentativa de contentar o mundo.

Nos perdemos quando queremos contentar o mundo todo, o mundo todo é muito, contentar o mundo é contentar todos, e isso é impossível, os Beatles sabem disso. Me perco também quando quero contentar a todos, fico sem foco, claro que a rejeição é coisa que machuca e magoa e sempre tento evitar isso, mas existem …

Continue lendo »

mar 22

O universo conspira a nosso favor, mesmo quando não concordamos.

Há uma conspiração no ar, tudo conspira tendo por objeto a humanidade. Quase nunca percebemos isso, quando cremos que essa conspiração está a nosso favor, chamamos quase sempre de sorte, quando nos contraria, alcunhamos de azar. O Universo encadeado pelas leis matemáticas e físicas de atração e repulsão, causa e efeito configura-se como uma imensa obra inacabada. …

Continue lendo »

mar 21

O ôba ôba no Obama.

Não quero fazer coro aos insurretos de plantão com o Fora Obama! Nem tampouco a subserviência tucana de tempos tucanos e antanhos. Quero fazer coro aos que dizem que mulheres e negros aqui e acolá podem e devem governar, quero fazer coro à democracia e ao acesso à ela, quero fazer coro também aos que não …

Continue lendo »

mar 16

Imagens do Japão

As ruas passaram rápidas por mim, lembrei delas ao ver imagens do Japão, lá também as ruas passaram rápidas e não passaram, ficaram num vai e vem que fez tudo estremecer, incrivelmente os grandes arranha-céus não se abateram e majestosos ficaram de pé. Vi também que além dos movimentos das ruas, as praias nuas se …

Continue lendo »

mar 11

Ser feliz e amanhã ser.

Ser Fé e Elis ser então feliz ser, ter, crer, viver antever sobreviver o que sempre se quiz. Ser o ser e tão somente ser sem nunca ter o que ter, para ser então feliz. Ser só e somente ser o que nunca se quis, e nunca sendo nunca lendo e só escrevendo o que …

Continue lendo »

mar 10

Nem pensei direito.

A cada canto por todo e qualquer canto estamos mais uma vez eternamente sós… presos a simplesmente nós nós que nos tornamos em nóz e em simples sementes e comoventes e em emaranhados nós. Eu cativo de mim só, em nós e totalmente atróz… Seco em lágrimas de ventos e tempos de acalantos e tormentos… …

Continue lendo »

mar 06

Om Namah Shivaaya

Toda vez toda tez; todo ato todo fato toda brisa que ameniza e todo furo em todo muro em todo canto em cada canto onde o pranto e o manto mantém o desdém de alva cor em cada suspiro em cada clara em cada neve e onde quer que você me leve e onde sozinho …

Continue lendo »

mar 04

Sementes ao vento…

Como sementes ao vento as nossas idéias, como sementes de dente de leão como sementes ao vento elas se vão, Cada pensamento em cada momento, é toda uma geração. Somos um e somos cem. Mentes espalhadas e perdidas encontradas e feridas preservadas e pervertidas, numa imensa comunhão. Somos todos dente de leão… Dormentes, latentes sãos …

Continue lendo »

Posts mais antigos «