«

»

maio 13

Nas tardes que se aproximam…

 

Outono em Praga

Nas tardes que se aproximam,

frias e úmidas pela estação,

o vento um nome murmura,

seu nome é solidão.

Em teu seio nasce a terra

e da terra teu jardim,

e o jardim jaz na terra

morto pelo frio sem fim.

E da terra vem a porta

e da porta a saída,

que aberta leva a nada,

que do nada gera a vida.

E da vida vem a flor,

e com a flor o espinho,

do espinho o amor,

do amor o nosso ninho.

Deixe uma resposta