Arquivo por mês: junho 2011

jun 27

Um amor de poema.

2829836

Um amor de poema quando nada vale a pena se apresenta como sol, como a luz como a quem seduz como no mar farol. Um amor de poema faz nossa mente pequena se agigantar faz a doce morena monumento de Gibraltar Um doce poema é sempre doce, e se assim não fosse ainda assim seria como …

Continue lendo »

jun 27

Vó ar

novos_velhos

Sorrir quando nada permitir, sonhar mesmo após acordar, fazer quando impossível parecer, cantar quando se quer chorar. Nada, nada pode nos impedir de sorrir!

jun 27

Inverno

geada

O inverno chegou trazendo frio, nas ruas frias, frias pessoas, sinto-me levado por este rio qual fosse pequena canoa. Vou ao sabor da corrente, sem remos que me dê direção, nada vejo em minha frente que sossegue o coração. O vento também frio, soprando em mim, deixa-me um vazio de saudade sem fim. Demoram-se folhas no calendário, …

Continue lendo »

jun 27

Ocaso

imagesCAFASIGA

Uma chuva inesperada limpou toda nossa estrada a chuva fria e torrente levou nossas pegadas para sempre o outono ainda agora era, e nada de nós ficou… O inverno eterno é. Sobra da luz a escuridão sobra do nosso amor meu só coração sobra do sonho o despertar, sobra dos teus olhos o não olhar, …

Continue lendo »

jun 21

Atchimmmm…saúde!!!!

resfriado

Coriza congestão nasal com gripe tudo fica mal com gripe eu desfaço-me em queixas que nem um milhão de gueixas poderiam resolver… tudo arde nariz adentro, puro sofrimento de quem não aguenta dor. Atchim…. Saúde!!!

jun 20

Personagens de nós.

untitled

Personagens somos todos nós, e os nós de nossos personagens, o que serão? Efeitos de nossas atitudes de mil vidas de similitudes de quebranto e dor de solidão, quantos anos teremos para ao morrermos no final então, ter que de novo renascer… E de novo amar e aprender, a sós… sobre quem somos nós? E quem somos nós? senão os …

Continue lendo »

jun 17

De que lado do muro?

nosso-lar

A vida me apresenta a cada instante descisões a serem tomadas, se vou sorrir ao cruzar com alguém ou se fecharei a cara desviando o olhar, se cumprimentarei as pessoas no elevador ou se as ignorarei como se ninguém ali houvesse. A cada momento a vida me pergunta que tipo de ser humano sou, se jogo papeizinhos na calçada, se reciclo meu …

Continue lendo »

jun 16

A felicidade é logo alí.

ser-feliz

Prisioneiros das convenções sociais, conceitos e pré conceitos, somos todos, fomos condicionados a isso. Nossa sociedade machista, erigida sob os dogmas ocidentais em que a família se mantém sob a coerção do macho alfa, desaba de pouco em pouco. Novos paradigmas surgem aqui e alí, o papel destinado às mulheres vai lentamente sendo superado à custa de sacrifícios sem fim. …

Continue lendo »

jun 14

Na palma da mão

chuva

A vida nos dá inúmeras oportunidades de aprendizado todos os dias de nossas vidas, quando estamos no trabalho ou à procura dele, quando nos refastelamos de forma preguiçosa em nossas horas de descanso, quando olhamos e quando não olhamos para quem está próximo de nós. Cada momento que passa é oportunidade de renovarmos nossa maneira de ler …

Continue lendo »

jun 13

De peito aberto

gráfico de torta

A chuva começara a cair de forma inabitual, o frio de um inverno antecipado já incomodava muito. O vento que antecedera a chuva continuava seu trabalho de convencer as folhas das árvores a caírem pelo chão. Um sentimento de destruição nos invadia de forma abrupta o coração distraído. Sem saber, o fel já se instalara …

Continue lendo »

Posts mais antigos «