«

»

out 18

Flores de amores

Dores de amores,

de vivas flores e divinas cores,

todas tão sentidas,

dores tão doídas,

de doidas noites de amores.

Cores vivas,

de mortas noites,

todas mal dormidas,

descoloridas,

na saudade de teus amores.

Óh dores de amores,

sangras em vivas cores,

solitárias de beija-flores.

E assim por onde fores,

levarás contigo,

o doce e divino castigo,

de lembrar os meus amores.

 

 

Deixe uma resposta