«

»

dez 20

Semeavas e me amavas.

Semeavas no ar poesia,

semeando sonho e fantasia,

semeavas que me amavas,

e me atirava em teus braços,

semeando os meus fracassos,

dos amores perdidos,

em desamores esquecidos,

de semeaduras vãs,

de saudades malsãs,

de noites esquecidas,

e muito mal dormidas,

dos sonhos meus que semeavas,

semeando que me amavas,

mas semeavas somente ilusão

e colhia eu somente sementes de solidão.

 

Deixe uma resposta