Arquivo por mês: janeiro 2012

jan 30

Meu caminho.

Caminho fazendo caminhos, cada caminho que faço é linha que traço na história da minha vida, não há como apagar um caminho feito, porém mudar o rumo e retomar a jornada é sempre possível, não há linha de chegada, o que importa é caminhar.

jan 29

Em águas mansas

ACREDI~1

Em mansas águas quero navegar, tenho barco remo e vontade, não temerei a possível tempestade, que me venha atormentar. Alinharei com o horizonte, rumando para o leste, lá onde me quiseste, a beber da tua fonte. E quando eu chegar, serei parati poema, serei doce fonema para teu sonho embalar. E quando em mim adormecer, …

Continue lendo »

jan 29

Ainda assim

foto-libertacao-dos-escravos-2

Ainda assim eu fico sem jeito e preso de mim mesmo, nessas incertezas que a vida me dá. As amarras que teci criaram uma teia que me prendem a você, cada linha que escrevo só me faz enredar aumentando o novelo de que não me desembaraço e sob o peso desse laço me perco em …

Continue lendo »

jan 28

Em pétalas

1204122810

Na chuva caminhamos sem medo, sem rumo ao nosso degredo em nosso segredo de amor. Sob a chuva fria, eu te vi chegar sob teu silencioso olhar, vi o sol que ilumina vi estrelas na noite chuvosa vi em teu sorriso uma força poderosa, e na tua pele serena uma pétala de rosa.  

jan 26

Vento do oriente.

tsunami10

O vento frio e o arrepio, que me dá na alma, que me dá no ventre quando vejo tua livre alma, de amor latente. O olhar sob tuas lentes, se faz sempre presente, quando sinto saudade de amar. Teu olhar do oriente, me é convite ao poente, poema de sol a raiar.

jan 24

Quando você está.

5960904310_8665caeb5b_z_large-copy

Tudo em redor é melhor quando você aqui está, as coisas simples que ninguém nota, denotam quando você aqui está, a tarde boba e fugidia, se torna em imensa poesia, quando você aqui está, e minha alma resplende, e tudo depende, quando você aqui está. A vida é mais simples e bela, como uma violeta …

Continue lendo »

jan 22

No teu céu.

estrelas_no_chao

Quando a noite vier, numa hora qualquer, e o sol se for, quando não mais estiver aqui o teu amor. Quando o sol se por, quando só a dor, quando ela vier, e ninguém mais te quiser, ainda aqui estarei esperando o sol se por, para na noite do teu céu, poder mostrar o meu …

Continue lendo »

jan 19

Nas tuas linhas

vazio

Nas linhas das tuas entranhas, velhas paixões e paixões estranhas, todas tão pequenas e tão tamanhas, que teu peito de mal jeito se ajeita e se amarfanha. Se fere de forma tão tacanha, quando ele que não se acanha, atira-se nos braços do amor e assim se assanha. Nas linhas tortas e mal postas, do …

Continue lendo »

jan 19

Livro

livro

Livro dos meus medos, dos meus segredos, da tua ausência vil. Livro que não escrevo, e que não me livro, desta insônia senil. Livro que desfolho, que descarto, que é concreto e abstrato, que é puro e desacato. Livro-me desta ruga em minha testa, filha da rusga que me detesta, onde o livro de que me livro, me afirma …

Continue lendo »

jan 18

Na via crucis de ti

tha

 Para uma poetisa…   A tua via crucis redime, vendo, lendo, de_ti-me aprendendo, teu poema faz saudade, a flor do teu verso claridade, e teu universo verdade. Um convite ao teu coração, para quem quiser ler-te, ver-te e um irresistível flerte. Escreves tão bem… e eu aquém… Aqui a ti, pega tua pena e vem.     …

Continue lendo »

Posts mais antigos «