Arquivo por mês: maio 2012

maio 28

E tudo se fez em luz

elis2

Quero te agradecer filha minha, por me dar a alegria e o prazer de ser teu pai, mesmo eu sendo ausente e distante, você é uma flor de luz que ilumina os meus dias, me perdoe pela falta, me perdoe por não saber ser bom, me perdoe pelas tristezas e pelas lágrimas que muitas vezes …

Continue lendo »

maio 26

Como o vento

corpo_cor_01

Vens como o vento de outono, evidenciar todo meu abandono, vens como a folha seca e morta, bater com força, do meu peito, a porta, vens como a noite fria, cruel e arredia, a fugir sempre de cada novo dia. Mas vens, pois que quando não vens, nada tenho, nada sou, nada sinto, és uma …

Continue lendo »

maio 26

Anjo

0C220

Ao anjo que me guarda, peço asas para voar, peço um céu num pedaço de papel, para que eu possa poetizar. Peço a flor e a dor, que sempre enfeitaram qualquer meu amor, peço tempo e peço alento, peço paz e peço perdão, peço que te ilumine, e te toque o coração.

maio 26

Cacos

560x420_maria-fumaca-613e0

Cada caco de mim, de cada cacofonia, de cada caco de chão de cada pedaço perdido do meu coração. Cada resto de sonho, me faz pesadelo medonho, de impuras lisuras de ti, de cada verso maldito, mal lido e mal visto, mal amado e mal sentido, e cada verso errado que eu tenha parido, em …

Continue lendo »

maio 24

Cada pedaço de mim.

guerra2

Cada pedaço de mim, em aço da saudade se fez, do amor que juraste sem fim, e que tão cedo se desfez. Cada pedaço de mim, em verso amargo definhou, e tudo o que de mim restou, são restos de ausência sem fim. Cada pedaço de mim, é agora todo ateu, da promessa de amor …

Continue lendo »

maio 23

Efeito cebola

cebola

Estava lá eu, naquela manhã especial, o batom carmim sorria para mim e nada mais poderia ser melhor. O riso franco e maroto, naquela face amiga, confidenciava-me tudo sem dizer nada, nem era preciso muito menos possível, pois que as nossas palavras são pobres e inadequadas e inexpressivas e vazias diante daquele sorriso carmim, que …

Continue lendo »

maio 12

A espera de mim

a_espera_by_ritaangel[1]

São quatro e trinta, na estação, nem primavera nem outono ou verão, é tudo um só inverno, tudo triste e cinza. Cinzas de um amor que não conseguiu mater-se em fogo, apagou-se na primeira chuva desse outono. E ainda são quatro e trinta na estação do abandono.  

maio 11

Anos

21

A nós os anos se vão, como as contas de um terço envelhecido, cada reza comprometida, é mais um dia parido, e cada prece comovida, foi para um dia perdido. Vou assim escrevendo, para não ir esquecendo, cada ano vivido e cada sorriso esquecido, que você nem se lembra, mas me deu. Cada causa e …

Continue lendo »

maio 11

No trem

20

No trem da minha saudade, tudo cabe. Cabe o açúcar mascavo, a canela o chá e o cravo, cabe a renda que envolvia teu dorso, cabem as sandálias que te levavam a voar comigo nos céus de nossa alegria. Cabe os sonhos que não sonhamos, os amores que não amamos, e os abraços que não …

Continue lendo »

maio 08

Riso largo

bicicleta

Dos teus braços e abraços, me enlaço num momento de dor, como quem se aninha e se guarda, num ninho emaranhado de amor. De tua boca inconfidente, sinto-me indigente, destituido do próprio ar, me alimento do último brilho, que vem da luz teu olhar. Em teu riso largo, me largo e me solto, como quem …

Continue lendo »

Posts mais antigos «