Arquivo por mês: julho 2012

jul 31

Toco

558517_306047459470788_169618179780384_691178_161312384_n

Quando toco tua alma invoco, como quem exige o mar, do amor maior que se possa amar, do tamanho maior, que se possa abraçar. Quando se toca o teu sonho sem ter que te acordar, toca-se na tua alma que está a sonhar, quando toco tua alma, a calma me acalma, e volto a te …

Continue lendo »

jul 26

Aurora

523428_428647197166486_49473941_n

Quando tu saías às ruas, tortas e tão nuas de tua beleza, de tua leveza e dos teus bem quereres, Ah! estas ruas cruas dos teus prazeres, molhavam-se nas chuvas frias e impuras, que derramavam-se em infinitos seres. E na enxurrada das tuas lágrimas frias, tu nascias solenemente, de um sol de quase todo dormente, …

Continue lendo »

jul 23

Na rede

179974_438925552785486_4714445_n

Na rede me lanço, me balanço e me deito, na rede descanso, me encanto e me deleito. Na rede escrevo, me vejo e revejo, na rede procuro, ouço e releio. Na rede caminho, na rede destino, na rede enredo, pão peixes e poemas, soluções e problemas. Na rede me aninho, na rede me deito, na …

Continue lendo »

jul 23

Segredos

522811_434506746560700_1439138182_n

A vida vai devagar se conformando, novas coisas e emoções novas se apresentando, todos temos nossos medos, sonhos e segredos, eu tenho os meus… e alguns deles também são os teus, segredos que aos poucos vão morrendo, um chocolate na porta, um beijo no portão, pequenos pés descalços, olhando no céu um avião.     …

Continue lendo »

jul 23

É na poesia

poesia2

É na poesia que eu viajo por mim mesmo, e caminhando do jeito meu, do fiel e do ateu, do oposto do oposto que é sempre o incerto eu. É no poema que sempre me vejo, como novo bilhete do mesmo realejo, como um vento que não se conforma, ora está dentro ora está fora… …

Continue lendo »

jul 23

Das cinzas.

550873_435420189802689_1228418366_n

Me cubro das cinzas do nosso amor, quero-o morto, e como um vestido roto, de que se dispensa no inverno, vou me aquecendo quando e como quero. Nada do que pensei assim não foi, e pensar que o destino só se vê depois. Cubro-me de cinzas, como um velho pecador, atrás das velhas marcas de …

Continue lendo »

jul 11

Outras palavras

538251_251079388339488_2081993262_n

Outras palavras existiram e acabaram-se… Outras palavras se tornaram vivas e nasceram pelo que sinto por você, elas me elevam e me trazem de volta para a luz, essa luz que nasce do teu olhar quando você me olha, e essa luz que nasce de meu peito buscando o teu… São estas as palavras de …

Continue lendo »

jul 08

Um só coração

estacaochuva

Há um mar de saudade, e um mar de vontade, sempre de te abraçar. Há um mar de verdade, um mar de simplicidade, um mar de querer te amar. Há um pranto bendito, um sentimento bonito, quando você está distante. Há um abismo infinito, um cochicho mau dito, de um tormento constante. Há uma solidão …

Continue lendo »

jul 06

La luna

150420_313581588724540_117905868292114_687718_2006794756_n

A lua me olha neste instante, ri de mim toda cheia de si, quase me esqueci de que ela me é nova, como essa minha trova, boba e displicente que nenhuma gente há além de mim ler, a lua ainda mais vai crescer, mas antes desse instante, a lua há de ser mais minguante, e …

Continue lendo »

jul 06

O mar

menino-palestina

O mar logo mais te verá, eu aqui nas teclas negras, tentando descrever o que sinto, e tudo me é absinto… Logo mais teus pés descalços, morenos e serenos caminharão, no encalço da saudade… nada mais será temeridade, e as gaivotas em arribação, vão fazer deste inverno um último verão. As ondas de sal e …

Continue lendo »

Posts mais antigos «