«

»

set 03

Minha jornada

Os caminhos mais belos

singelos

de divino olhar

sempre podem ferir

os pés de quem os quer caminhar.

E assim de passo em passo

um novo e bonito caminho faço

e não penses que é fácil

pois não o é,

cada canto de degrau um pranto

e um espinho em meu pé.

Subo a ladeira de minha vida

resgatando pecados,

idos e passados,

e novos erros cometo,

como quem comete desatino

e assim

eu mesmo vou reescrevendo

o meu velho destino…

caminho por entre flores de concreto

e assim de modo secreto

carpo minhas lágrimas de amor

semeando e esquecendo,

a minha própria dor.

Subo da minha vida a ladeira,

como quem a propria alma escala,

cada passo uma cruz de madeira,

e um chicote que em mim estala,

minha consciência mensageira,

de idos pecados vãos,

descaminhos que hoje refaço,

nas asas da solidão.

Percorro os frios corredores

de minha alma compungida,

colhendo das minhas dores,

o elixir de minha própria vida.

 

Deixe uma resposta