«

»

dez 15

Sal e Pimenta

O sal e a pimenta,

o lábio que diz

que não aguenta,

a boca aquecida e queimada,

a língua em chamas de dor,

o calor intenso do teu amor.

A pimenta vermelha e voraz,

pequena, intensa e capaz,

de sacudir a garganta profunda,

de chamas a alma inunda,

cruel cruenta e imunda,

lascívia torrente e constante,

de quebrar regra e segredo,

de medrar o próprio medo,

de cantar em dissonante.

Pimenta e sal,

temperos da alma e da vida,

temperos do bem e do mal,

temperam assim a ferida,

derradeira e esquecida

e a última pá de cal.

 

 

 

Deixe uma resposta