«

»

jan 10

Vastidão

Caminho pela vastidão de mim,

nela nada encontro

a não ser o eu a quem ainda persigo.

Na vastidão do eu sem fim

caminho pisando sobre mim,

e sobre os sonhos de ontem,

os de amanhã ainda não foram sonhados,

os de hoje todos abortados,

pela repentina insônia.

A vastidão assola-me,

consola-me,

devora-me.

A vastidão tão grande

e tão sem fim

é o vazio que já não cabe em mim.

 

Deixe uma resposta