Arquivo por mês: fevereiro 2013

fev 28

Cada

574789_423733181033809_207907086_n

Em cada palavra dita um silêncio, em cada olhar perdido a ilusão, em cada pensamento um lamento, em cada momento a solidão. Em cada poema sentimento, em cada promessa uma flor, em cada canção juramento, em cada cantiga o amor.

fev 27

Pedaços dispersos

255583_316161215133244_778092841_n

E caminho apenas só, das tuas pegadas apenas o solitário pó, marcas dos passos que deste para longe de mim, sobrando agora sim a parca sombra de tua passagem. E eu nesta solitária paragem me abrigo nos poemas tristes e cadentes, se você ao menos lê-se-os por inteiro, veria neles os pedaços dispersos de mim.

fev 27

Para quando chover

578225_311407478934786_1482315908_n

Para quando chover, para quando crescer, o tempo da tua solidão, tome este verso que é teu, e guarde nos refolhos do teu coração. E quando tudo chover, e sendo tudo solidão, faça-te em versos, e sendo tu então poema, seja então a própria poesia, que rima dor e alegria na mesma estrofe de uma …

Continue lendo »

fev 27

Porque me olhas assim, indiferente?

218133_375946309167791_1861930840_n

Porque me olhas assim, indiferente? Acaso sou de ti diferente? Fico alegre e fico triste, fico entediado no meio do feriado, fico impaciente quando sou paciente no consultório, medo de injeção, e você não? Quando caminho reparo nas pessoas que andam comigo, na solidão das ruas repletas de gente apressada, onde vão assim tão alheios …

Continue lendo »

fev 27

Por ti.

296818_339117022869905_75198747_n

Por ti peço a paz que nunca tive, a sapiência nunca havida, a luz da manhã de um novo dia, que jamais amanheceu. Por ti peço o perdão da minha dívida, peço o o remédio e o veneno, que um dia você me prescreveu. Por ti revelo o que sempre escondi, me entrego ao pior …

Continue lendo »

fev 23

Que sonhar eu tenho.

64288_589570964391064_978432733_n

Cada noite que passo sozinho torna-se uma viagem por um velho e estranho caminho. Nas alamedas repletas de folhas e galhos secos do meu universo interior, vou pisando sobre os meus sonhos derrotados, acalento porém, outros ainda não sonhados e cada sonho que arquiteto  é mais um sonho que secreto nos refolhos do meu peito, …

Continue lendo »

fev 21

Curvo

231020_490852367615913_893114072_n

Curvo-me diante de ti, curvo-me diante da dor, diante de cada momento, em que você me esperou. Curvo-me diante da vida, diante da brisa, que nunca te soprou. Curvo-me diante da estrada, tão larga e iluminada, que nunca você caminhou. Curvo-me diante de tudo, diante da imensidão, e permaneço quieto calado e mudo, permanecendo fechado, …

Continue lendo »

fev 19

Meu canto para você.

314513_419335664806894_1444856486_n

Eu canto para você poder dormir, e sonhar que um dia a distância já não mais nos separa, canto a música mais triste que existe, nela o mel tornado no fel do vazio que me arraso o peito, em minhas veias e artérias não sangram mais o teu amor, tudo que elas levam é a …

Continue lendo »

fev 19

A verdadeira

281667_289532541149772_1788861738_n

Um coração vermelho e claro que seria no lado esquerdo, e do lado direito, flores que somente exalam o teu perfume totalmente estranho ao meu fino faro. No retrato olhavas a lente fria e muda que somente sabia te retratar, tua voz tão distante ficara naquele maio perdido em negra serra. Nas esquinas da vida …

Continue lendo »

fev 19

Clandestino

556984_389374204469707_698822103_n

De forma clandestina embarquei no quarto do teu amor, lá como vassalo e gerente descamisei-me contente e despi todo o meu pudor, mero lacaio e indigente deitei-me por sobre o chão, lá como vítima e algoz compactuei com a tua perdição. No quarto do teu amor fui clandestino, sendo velho e menino, sendo confessor e …

Continue lendo »

Posts mais antigos «