Arquivo por mês: março 2013

mar 30

Certamente o ser

857593_438219222924122_627754877_o

Talvez todos estejamos no natural desconforto de nos apiedarmos dos que em conforto algum teimam em ser felizes, sem nada terem para o serem. Mas se o são, felizes, sem nada terem para o ser, como é que o são? Tavez os motivos de o serem, felizes, são exatamente os motivos que nós todos tememos …

Continue lendo »

mar 30

Todas as cores do teu olhar

399216_452140851511213_1469366601_n

Quando você me olha o mundo inteiro me vê… tudo me consola, quando você me olha, quando você me lê. Minha poesia se reforma, se transforma, em tudo mais que se possa ler, para ver se você se demora, com estes olhos tão verdes, ao lerdes que eu jamais vou te esquecer.

mar 30

E quando tudo te chama

282251_3408539310915_257689780_n

Meu peito te chama, e ela a chama, ardente que está de todo fogo intenso, em que meu peito está e de todo fogo e todo incenso meu peito arde em chama quando ele te chama. E posto que é chama, como o poeta dizia, arde inteiro e reclama também ao teu peito que há …

Continue lendo »

mar 16

De névoa e neblina

75575_403906409705114_1148847568_n

A água e o fogo se amaram em exaustão, derramaram-se nas sargetas da extinta solidão, enlaçaram-se num abraço mortal, água e fogo se armaram em um só vendaval. E cada um em sufixos de frio e calor, se doaram total e completamente em torrente de amor. Água e fogo em cópula divina, se acabaram em …

Continue lendo »

mar 16

Da água do teu cheiro.

47772_447052258701901_312329651_n

Da água do teu cheiro, que me invade por inteiro, e que se chama sedução. Da flor em que me recreio, que é só galanteio, que é só paixão. Queres sem quereres, esvair os meus prazeres, na indecência do teu chão. Ferindo este teu abrigo, ombro mais que amigo, que é o meu coração.

mar 16

Pão e rosas

21414_398245410249253_1624375204_n

Todo março me lembro de pão e de rosa, do pão da esperança e do vento, do divino alimento, dos versos em flor e em prosa. Todo março é sempre movimento, uma resistência teimosa, de quem caminha para dentro, ofertando pão e rosa. Toda flor é sempre dor, toda mulher é sempre amor, Toda mulher …

Continue lendo »