«

»

mar 16

Da água do teu cheiro.

Da água do teu cheiro,

que me invade por inteiro,

e que se chama sedução.

Da flor em que me recreio,

que é só galanteio,

que é só paixão.

Queres sem quereres,

esvair os meus prazeres,

na indecência do teu chão.

Ferindo este teu abrigo,

ombro mais que amigo,

que é o meu coração.

Deixe uma resposta