«

»

mar 30

E quando tudo te chama

Meu peito te chama,

e ela a chama,

ardente que está de todo fogo intenso,

em que meu peito está

e de todo fogo e todo incenso

meu peito arde em chama quando ele te chama.

E posto que é chama,

como o poeta dizia,

arde inteiro e reclama

também ao teu peito que há de se arder,

e assim nós na mesma chama,

para sempre havemos de nos perder.

Deixe uma resposta