Arquivo por mês: Abril de 2013

abr 20

A poça.

Reflexos da chuva caída, tolhida na borda da rua, embebida na tristeza nua, dos teus lábios cuspida. Reflexos do amor natimorto, poema nunca dantes rimado, jaz num último conforto, sepulto em jazigo caiado. Passos dados à revelia, em direção oposta à minha poesia, passos dados e perdidos, mal compassados e ungidos, nas tristenhas de então, …

Continue lendo »

abr 20

Um poema no lixo

Há um ponto em cada conto que ninguém vê, conta o ponto desse conto o encanto no canto do teu conto, há mais que se possa fazer. Mais que um conto o encanto de ler e escrever, Na janela do sonho e do pesadelo medonho, nas pontas de grafite envolto em paus, em papiros de …

Continue lendo »

abr 20

Certas coisas

Tem certas coisas que nos advém, como as rodas todas de um mesmo trem, coisas avassaladoras importantes e tolas, mas que sempre vem. São coisas prostituídas e castas destruídas e intactas… São coisas tantas que nos advém, pagãs, perdidas e santas que nos mantém. E tem certas coisas que são imprescindíveis, mesmo mudas e inaudíveis, …

Continue lendo »