Arquivo por mês: maio 2013

maio 24

You tube

400635_509062705842303_241444378_n

Somos tão vivos quando estamos juntos, e cada canção que ouvimos, é como se fosse a primeira vez, e cada canção ouvida, uma lágrima esquecida, uma sagrada ferida um poema de adeus. E essas vozes que ouvimos, em cada tela de computador, em cada tecla perdida, desse nosso estranho amor.

maio 21

Caminhos idos

escolhas

Caminhos idos e caminhos que se vão, caminhos tidos caminhos perdidos, caminhos na imensidão… Caminhos que faço, caminhos que traço, nos caminhos da minha solidão. São tantos caminhos e eu um só, e me perco nestes caminhos e deles somente restaram o pó.  

maio 19

O teu sorriso

579096_398246330249161_555181107_n

Dá-me o teu melhor sorriso, pois é dele que eu mais preciso para estancar a minha solidão, quero-o todo, de tal forma que não haja mais nenhum engodo, em meu coração. Dá-me o teu sorriso, não me negues jamais esta jóia que tua face ostenta, como divina gema do mais divino pendor, mais que o …

Continue lendo »

maio 17

Perder e doar

181186_477527055593052_444244697_n

Perdoar é união de Perder e Doar, perder o orgulho que nos impede de sossegar o coração, doar ao vento a nossa vaidade que nos impede de perceber que não somos tão importantes assim. Perdoar é um exercício de renúncia a si mesmo, principalmente quando todos esqueceram dos motivos das tuas feridas, e tratam teu …

Continue lendo »

maio 17

Almas mortas

561212_555639034470579_1067769835_n

E de repente olho ao redor e tudo que vejo é você, e eu que teimo em não querer, me perco querendo te querer… Almas mortas, mãos opostas, cinza e carvão, tudo o que restou daquela paixão. E o vento brando e frio faz tremer as águas do meu rio, que teima em querer se …

Continue lendo »

maio 17

Caminhos vãos

971625_577541738945153_2020113703_n

Na palma da tua mão o tempo escorreu, o que sobrou dele você já esqueceu, nas linhas tortas e quase mortas, do tempo que você me deu, fecharam-se todas as portas, e você se perdeu. Caminha ainda no tempo, nas areias de todos os desertos, e caminho por entre os segredos, que ainda estão encobertos. …

Continue lendo »

maio 17

Sem ti

148688_470877922969133_624998679_n

Te agarras em esperanças de maio, eu sem ti me distraio, em poemas de flor e fantasia. Cada poema perdido um reverso esquecido de um amor que não se deu. Em noites frias de maio, sem ti me distraio, sem ti estou eu.

maio 14

Marcas

417950_447200692035571_1426331160_n

As marcas do meu tempo, são tantas e em tantos mantras de tantos lamentos, um mantra para a ferida e outro para o unguento. As marcas tantas e de tantos lamentos, marcas profundas de dor e de sofrimento, marcas de juiz e de julgamento, marcas que eu mesmo fiz, e marcas do meu nascimento. Marcas …

Continue lendo »

maio 14

Corpo

61514_531168143606777_1021310327_n

Em cada canto do teu corpo, o horto do meu amanhecer, e enquanto o sol surgia eu me abstraia de você, e em cada noite mal dormida, uma manhã mal nascida, que eu tentava esquecer. Em cada canto do teu sorriso, uma cantiga de saudade, um sopro de alegria sem motivo, um gesto de generosidade. …

Continue lendo »

maio 13

Buraco de agulha

521354_352421631541330_1992871610_n

Tarde e o sol ia-se, no céu de outono o azul destacou teu olhar, o ar seco de mim se agastou, tive sede e tu eras-me fonte. Cansei de andar nos corredores da solidão, busquei o sol que havia lá fora e o encontrei aqui dentro. Despi-me de você ficando nu, já não havia mais …

Continue lendo »

Posts mais antigos «