Arquivo por mês: junho 2013

jun 25

Do pó das tuas pegadas

419165_547504881953726_894890202_n

Do pó das tuas pegadas, refiz o eu desfeito, e nas tuas idas jornadas, reli o poema não feito. Descumpri a promessa que não fiz, caminhei a esmo, me perdi e me descobri, andando por mim mesmo.  

jun 11

Nossas histórias

woman-reading-possession-order-19972

As histórias ocorridas e as histórias que ainda vão ocorrer, são as histórias de nossas vidas que ainda temos que viver. Em cada momento ainda não tido, o sentimento já sentido que começa a corromper, meu peito já tingido, com a saudade de você. Já tenho aqui comigo, as lembranças que virão, delas a que …

Continue lendo »

jun 10

Deita

625506_470043906410850_957597733_n

Larga as velas de teu mastro, arreda do teu casco e vem pra terra… caíste frente ao carrasco chamado amor que tudo arrasto em teu favor e quando o toque do teu ventre faz arrepios em minha pele, tudo é mar e rebentação maré alta enchente e paixão. Deita na vala que te faço bem …

Continue lendo »

jun 09

Dá-me de beber

563187_448918988515228_189405877_n

Dá-me de beber… minha maior sede é a sede de viver. Tenho sede de ti e sede de teu olhar e a maior sede que tenho, é a sede de esperar. Espero que ainda caia, a última gota da última boca, no último pingo de esperança. Na última lágrima amiga, na última gota de infância, …

Continue lendo »

jun 09

Beijo bandido

486425_518237521566506_1021309203_n

E o beijo mais perdido, que alguém possa te dar, será o beijo pervertido, de quem jamais deixou de beijar. Será o beijo consumido e o beijo a se consumar será o beijo mais esquecido aquele que não se deixa de lembrar. Será o beijo mais molhado, e o beijo mais ressequido, o beijo mais …

Continue lendo »

jun 09

É tempo

400692_458823747539932_1304767304_n

Há um tempo de plantar há um tempo de colher de ensinar e ao mesmo tempo aprender há tempo de ouvir mas há que se ter tempo para falar e maior tempo ainda para sorrir. Há tempo para pensar e um tempo para agir tempo para sonhar e tempo para construir. Tempo para lembrar e …

Continue lendo »

jun 09

Jardim

310044_472129996196269_572247875_n

Semeavas flores em campos de dores e de campos de amores perdidos que são são campos em dores paridos do amor, de todas as flores caídas no chão. Em cada morto amor, e em cada canto mudo, jazia no leito uma dor no peito mais profundo. Em cada céu de anil em cada voz que …

Continue lendo »