Arquivo por mês: novembro 2013

nov 27

Da safra mais antiga

E da uva, fruto de todo teu sabor, despenca sobre toda minha dor, como o fruto mais que proibido, mais que o desejo mais bandido e mais que toda a minha libido, de querer saber de alguma dor, e todo o meu querer e nenhum olor, de todo o meu saber e de nenhuma flor, …

Continue lendo »

nov 25

Não dá para ser normal.

  Depois de anos em militância na política sindical, partidária e no movimento Espírita, cheguei a uma conclusão: Não consigo ser normal! Essa normalidade burra de censo comum e de nenhuma reflexão. Prefiro essa anormalidade sã, da preocupação e da ação fraterna, terna e solidária. Da tentativa quixotesca de produzir um mundo novo e melhor. …

Continue lendo »