Arquivo por mês: julho de 2014

jul 28

Desenganado

Adoeci de você, estou assim de ti desenganado, nada a mais poderei sobreviver, sem ter você ao meu lado.    

jul 28

Fiz-me

Fiz-me flor enquanto amor que nunca se deu, fiz-me flama e dama do amor que jamais aconteceu, fiz-me ama e infiel mucama da paixão de eva e de romeu, fiz-me veneno e cúmplice degredo de quem sempre se deu, e da traição mais traída fiz-me fiel amiga e fiz-me infiel canção e nada mais eu …

Continue lendo »

jul 28

Reticências

Deitei o meu sonho na tua cama nua, fiz-me devassidão, tive o abraço da tua sorte, e para mim tudo o que corria era morte… As tuas reticências sempre foram mais fortes que nosso amor.  

jul 26

Parte de mim

Lia o espelho diante de mim, tudo que eu via era sombra, quando você se foi, foi-se a luz do meu olhar. Quando você se foi, foi embora parte de mim, a melhor parte de mim.

jul 23

Hiato

Dá-me teu braço dá-me teu abraço que nele eu quero viver, e se dele eu me apartar que eu possa me apegar ao teu último beijo do ultimo ato do ultimo quarto do ultimo hiato do nosso amor.

jul 23

Espero

Te espero na curva do vento, na estrada do lamento no reino da saudade. Lá sou morador de rua, e minha alma sempre nua, sofre o frio do teu desamor. Quisera eu quem sabe, suportar essa saudade, daquele nosso amor.  

jul 23

Fechado

Fechei minha alma, cruzei minhas mãos, me apertei feito um grão. Me prendi em mim mesmo, o vermelho do teu velho vinho, me encheu a garganta e a minha fome de amor era tanta que me afoguei na tua saudade. Nada do nosso jardim floresceu.      

jul 13

Útero

Sede-me o derradeiro útero, o antro mais que divino, mais que vespertino, mais que acolhedor, de mim que novamente um menino, serei teu derradeiro amor. Dá-me dos teus peitos fartos, o pão que há de me suster, que dar-te-ei o meu  afeto, em cada novo amanhecer. Dá-me a tua mão divina, fiel conselheira, que ainda …

Continue lendo »

jul 13

A única porta

Liberta-te de mim, preciso ser livre, quero experimentar o eu. Ainda caminho carregado de ti, és-me um fardo pesado demais, tenho em mim todas as decepções que você me causou. Liberta-me de ti, ainda preciso conhecer a mim, correr pelos corredores de minha saudade imensa, e ver que no final de tantas portas a única …

Continue lendo »

jul 12

Recado

Busco-te nas claras manhãs deste inverno, cada nova manhã uma maçã mordida do teu pecado cada noite mal dormida um novo dia envenenado cada olhar perdido um olhar desencontrado e cada vento que sopra a saudade bate à porta com recados do meu amor. E para onde quer que eu vá as manhãs de inverno …

Continue lendo »

Posts mais antigos «