«

»

jan 05

Pisavas

ESTREITOCaminhavas nos céus da minha vida
como quem pisavas em flores
como quem navegava distraída
flutuando num mar de amores.
 
Pisavas nas linhas dos versos
dispersos de todo o meu ser
negavas o meu tanto amor
não deixando o teu nascer.
 
Cada passo nos céus que davas
quedava um desejo que me passava
caídos tantos eram
que se depuseram
no frio piso do meu ser
cada desejo quedado
um sonho mal amado
que teimava em querer ser.
 
Pisavas no meu amor
que servia de solo teu
cada amor pisado
um verso mal formado
ao amor que não nasceu.
 
 

 

Deixe uma resposta