«

»

mar 31

Cavo

68a5b9db1219607239149fa10e2ea1ceTem tanta gente infeliz
cavando com os próprios pés
seus abismos mais que secretos,
caminham a esmo sem nenhum sentido
nas estradas perdidas do coração deserto.
 
Eu também trilho a minha estrada,
nela todas as pegadas são tuas,
cada curva um desejo,
cada esquina uma solidão
cada encruzilhada uma dúvida
cada porta fechada uma interrogação.
 
Cavo sob meus pés
a vala vazia do nosso amor
farei dela o meu leito
para quando você se for,
 
e deitarei com a minha amiga saudade
deixando que o tempo infinito
passe lento e cubra-me mais tarde
com as areias da solidão,
e quando tu passares estará escrito
que em meu peito jaz dormente
a minha eterna paixão.
 
 

Deixe uma resposta