«

»

ago 09

Varro-me

Leesombutwattana Theamsak

Varro-me com o vento da saudade
do abraço de agora a pouco
um abraço e um sussurro rouco
de quem ainda carrega um pedaço de ti.

Me pego em lembranças mortas
de tantas vezes em que te fechei as portas
das tantas vezes em que te neguei
das vezes em que eu não te amei.

Varro-me com o vento da saudade
esse vento que sempre venta tarde
quando o arrependimento vem
e com ele a saudade também.

Quero-te ainda um tanto
como quem quer um quebranto
para amansar a alma
quero-te em meio ao pranto
de lágrima alguma
na rua nua de minha alma.

Deixe uma resposta