«

»

out 11

Teimo

1907413_10152299492893528_5043567070058722032_n

Desço ainda tonto
do sono em que me havia perdido
nele o sonho santo
em que me havia esquecido

Teimo em fantasiar
e a minha autoestima rebaixada
fragmentos de minha noite
mal acordada

Cada soneto feito em teu falar
cada anelo do teu cabelo
que teima em se desmanchar

cada sorriso discreto
secreto
desejo de te tocar

Tuas mãos tão firmes
tão não minhas
tão distantes
e tão sozinhas

Teu caminho é meu
descaminho casto e ateu
do teu olhar que não olha o meu

Resta-me a queixa
resta-me a deixa
resta-me o tempo ido
o tempo ainda não tido
e o tempo que se perdeu
resta-me o tempo maldito
que meu amor se perdeu.

Deixe uma resposta