«

»

fev 01

Tempo

22

O tempo que tivemos
nos alimentou de esperanças
o tempo acabou morrendo
deixando órfãs nossas lembranças

O tempo ido e passado
é o tempo que se perdeu
e o tempo  ainda não chegado
é o templo do amor meu

Escreverei no peito aberto
no tempo que é todo meu
o amor agora desperto
do amor que me aconteceu

Escreverei em tintas de fel
toda a saudade sentida
tornarei-as no mais puro mel
com a esperança revivida.

Acertarei o prumo das horas
nas marcas do tempo não ido
te abraçarei sem nenhuma demora
no alpendre do amor esquecido. 

Deixe uma resposta