«

»

jul 31

Naufrágio

Toda a minha fé
escorreu pela minha saudade

ainda hoje porém mais tarde
chorarei  mais uma vez

e me lembrarei de como éramos felizes
de quando as horas nos trouxeram dor
e não soubemos nos amenizar
nem cuidar de nosso amor

Não fizemos as curas para nossas feridas
exibíamos elas todas como amargos troféus da vida

assim as horas mais felizes
foram-se como infiéis meretrizes
que a moeda não pagou

ficaram outras horas mortas
horas órfãs
que o tempo não parou

Hoje só me resta o tempo
que eu ainda não te dei
ele, o tempo, vai-me lento
como um velho vento
em que me naufraguei. 

Deixe uma resposta