Arquivo por categoria: Crônicas

out 16

O nós.

Me perco num novo outubro de calor, mal amanhece o dia e o sol nos aquece de um jeito abrasador, talvez todos estejamos nos esquecendo de aquecer também o próprio coração, sim muitas vezes caminhamos em torno de nós sem nos apercebemos de que em torno de nós estão os outros nós. Quem são os …

Continue lendo »

fev 03

Eclipse

O tempo passou rapidamente, ao te reencontrar percebo assim, bem no meio do seu olhar uma cortina de tristeza que teu sorriso fraco não conseguiu vencer. Teu corpo emagreceu e a tua expressão também, não vi na tua face aquela outra mulher muito mais sol. Talvez um eclipse temporário, ou uma chuva de verão tenha …

Continue lendo »

jan 02

Reveillon

Recomeçar, reverenciar, renunciar repensar refletir reassumir reaquecer resistir redimir recuperar reafirmar rearmar reamar relembrar reaprender.

dez 24

Suncê tem água pra dar?

É Natal na senzala…os humores dos sinhôs estão mais suaves, o tronco se esvaziô, não tem mais castigo, nem preto punido, pelas raiva do Sinhô. Deram licença para a cantoria, e a nossa língua estranha, que os brancos não entendiam fazia o canto de alegria carregá a tristeza da dor, e assim enquanto a cantoria enchia os ares do terreiro, nós vivíamos as …

Continue lendo »

nov 25

Não dá para ser normal.

  Depois de anos em militância na política sindical, partidária e no movimento Espírita, cheguei a uma conclusão: Não consigo ser normal! Essa normalidade burra de censo comum e de nenhuma reflexão. Prefiro essa anormalidade sã, da preocupação e da ação fraterna, terna e solidária. Da tentativa quixotesca de produzir um mundo novo e melhor. …

Continue lendo »

out 02

Saudades do rádio de minha avó.

rradio

Quarta feira, manhã úmida, chego no estacionamento ouvindo o rádio do carro, programa bom notícia quente, não queria deixar de ouvir boas novas, saquei do meu novo celular e procurei sintonizar a rádio que vinha ouvindo, dezenas de aplicativos, coisas que eu nem sei para que serve e se me serve, após alguns minutos a …

Continue lendo »

set 03

Amy novamente

  Escrevo repleto de vazios, meu peito carrega apenas os ecos do meu passado… a coriza agoniza meu inspirar. A chuva fina lá fora me convida para o nada, e as canções me torturam com uma saudade infinita… Amy me envolve como nunca antes, me retorço buscando quem afinal? E o primeiro poema de setembro …

Continue lendo »

jul 24

O rei nasceu nú

601327_390086247753797_1556572618_n

Nasceu o rei como nós, nú, entretanto prontamente o mundo se voltou para acolhê-lo, mesmo em sua nudez; e assim nas telas de todas as TVs, o rei nascido logo vestido e exibido ao palácio trazido. Traduzido e explicado, o rei mesmo em xixi enxarcado, imediatamente lavado e trocado. O rei nascido nú, explica o mundo …

Continue lendo »

maio 17

Perder e doar

181186_477527055593052_444244697_n

Perdoar é união de Perder e Doar, perder o orgulho que nos impede de sossegar o coração, doar ao vento a nossa vaidade que nos impede de perceber que não somos tão importantes assim. Perdoar é um exercício de renúncia a si mesmo, principalmente quando todos esqueceram dos motivos das tuas feridas, e tratam teu …

Continue lendo »

maio 13

Buraco de agulha

521354_352421631541330_1992871610_n

Tarde e o sol ia-se, no céu de outono o azul destacou teu olhar, o ar seco de mim se agastou, tive sede e tu eras-me fonte. Cansei de andar nos corredores da solidão, busquei o sol que havia lá fora e o encontrei aqui dentro. Despi-me de você ficando nu, já não havia mais …

Continue lendo »

Posts mais antigos «