Arquivo por categoria: Crônicas

mar 30

Certamente o ser

Talvez todos estejamos no natural desconforto de nos apiedarmos dos que em conforto algum teimam em ser felizes, sem nada terem para o serem. Mas se o são, felizes, sem nada terem para o ser, como é que o são? Tavez os motivos de o serem, felizes, são exatamente os motivos que nós todos tememos …

Continue lendo »

fev 27

Porque me olhas assim, indiferente?

Porque me olhas assim, indiferente? Acaso sou de ti diferente? Fico alegre e fico triste, fico entediado no meio do feriado, fico impaciente quando sou paciente no consultório, medo de injeção, e você não? Quando caminho reparo nas pessoas que andam comigo, na solidão das ruas repletas de gente apressada, onde vão assim tão alheios …

Continue lendo »

fev 19

Concordata

Eu sabia que eu não deveria querer-te. Qualquer oportunidade de um simples flerte deveria ser banida de minha vontade. Áh, mas essa vontade por inteiro me invade e tudo ao redor de mim era você. Não sabia pensar em mais nada, só mesmo lembrar aquela madrugada que juntos vimos nascer. E tudo ali nascia mesmo …

Continue lendo »

jan 21

A trilha da minha vida.

Ouço músicas no youtube, antigamente era no rádio mesmo, era só sintonizar aquela rádio preferida e ouvir as canções do Roberto e da jovem guarda, a Bossa Nova e o Elvis, a Elizete Cardoso e outras tantas vozes hoje santas cantando no céu, era só sintonizar a rádio preferida. O pessoal da rádio tinha todo …

Continue lendo »

jan 02

Do teu prefácio ao teu epílogo.

Primeiro olho-te atentamente, quero te conhecer melhor, senti-me atraído por ti, me aproximo hesitante, acabo colocando finalmente minhas mãos em ti. Neste momento inicial sinto o teu fino toque e lentamente e com todo cuidado começo a te investigar, primeiramente começo por tuas orelhas, olho-as atentamente, satisfeito com o que vejo sinto que não mais …

Continue lendo »

jan 02

Mertiolate

O tempo agora é suficiente para que eu sinta demais a tua falta, e tudo se acaba em barras de chocolate e canções de Amy. Cada canção que vai passando por meus ouvidos, vai traduzindo o que me bate ao coração. Tempo a toa, chocolate e garoa, combinação das mais estranhas nas minhas entranhas. Se …

Continue lendo »

dez 24

Minha cama

A erisipela ainda apela querendo me acamar, tomo os remédios que não surtiram efeito, automedicação é realmente um problema, mas a preguiça é ainda um problema maior. Escrevo ainda coisas que não sei como terminam, só escrevo. O dia amanheceu úmido, caminhões e motos passam estupidamente barulhentos sob minha janela, para completar já começam também …

Continue lendo »

dez 24

Que brilhe sobre mim

Saio novamente a procura do dia, a noite ainda mal dormida recusa-se a despertar, vejo ainda pequenas estrelas distantes que teimam em tentar alumiar. A noite ainda teimosa, tarda em se despedir, tudo ainda é noite, por mais que eu procure o novo dia. Caminho assim olhando os caminhos que outros fizeram e que também …

Continue lendo »

dez 17

Quanto tempo temos?

O fim do mundo anunciado, que mundo se acaba e que mundo haverá sobrado? E se o mundo acabasse então o que sobraria do teu coração, aorta e veias mortas e rompidas, ou sopro de emoção de amores e de vida? O tempo passa apressado… pelas ruas da cidade molhada com a chuva da última …

Continue lendo »

dez 05

Crônica de Dezembro

Dezembro é um mês corrido, colorido, absorvente e absorvido, abducente e abduzido. Anda-se com os olhos no futuro, sempre esperando o bom dia de amanhã, para quem trabalha talvez férias, para quem procura trabalho, talvez temporário e depois talvez efetivação, dezembro é mês de liquidação, liquida-se o ano em que se está, trocam-se os sonhos, …

Continue lendo »

Posts mais antigos «

» Posts mais novos